O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu adiar o julgamento do processo contra o governador do Maranhão, Jackson Lago (PDT).

O presidente do TSE, Carlos Ayres Britto, chegou a anunciar o início do julgamento, mas foi interrompido porque o ministro Joaquim Barbosa afirmou que estava impedido de votar no caso. Ele alegou motivos pessoais, mas não revelou quais são. O ministro Ricardo Lewandowski foi convocado para substitui-lo.

AE
Jackson Lago, governador do Maranhão
Jackson Lago, governador do Maranhão
Felix Fischer, que pedira vista do processo no dia 18 de dezembro, sugeriu, diante da substituição de Barbosa por Lewandowski, que a defesa e a acusação de Lago tivessem nova oportunidade de argumentar. Todos os ministros concordaram com a proposta, classificada como "prudente". A retomada do julgamento está prevista para o próximo dia 19.

Entenda o caso

Jackson Lago e seu vice, Luís Carlos Porto (PPS), são acusados pela coligação Maranhão a Força do Povo, da então candidata Roseana Sarney (PMDB), de terem sido favorecidos por um esquema que cooptava e corrompia lideranças políticas, articulado pelo ex-governador José Reinaldo, em busca de eleger o sucessor.

O julgamento foi iniciado em 18 de dezembro do ano passado. Na oportunidade, o relator, ministro Eros Grau, votou favoravelmente à cassação de Lago, pela suposta prática de abuso de poder econômico e compra de votos nas eleições de 2006, e pela posse de Roseana. 

Leia mais sobre: Jackson Lago

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.