Um tribunal federal americano rejeitou nesta quarta-feira a apelação do ex-magnata dos meios de comunicação Conrad Black contra sua condenação por fraude e obstrução da justiça.

Há "evidência contundente" sobre fraude, disse o juiz Richard Posner, da Corte Federal de Apelações de Chicago.

Black, que chegou a possuir a terceira rede de jornais do planeta, cumpre desde março passado uma pena de seis anos e meio de prisão em Coleman, Flórida.

A queda de Black, um britânico de origem canadense, teve início quando ele foi acusado de roubar fundos de seu próprio império midiático.

mso/LR/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.