Justiça dos EUA reforça trabalho correto da Satiagraha, diz Protógenes

BRASÍLIA - O delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz comemorou nesta sexta-feira a decisão da Justiça norte-americana de prorrogar até maio deste ano o bloqueiro de bens do sócio-fundador do Opportunity, Daniel Dantas. Protógenes foi responsável pelo início das investigações da Operação Satiagraha, que por duas vezes prendeu Daniel Dantas, no ano passado. O investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta também foram investigados por crimes contra o sistema financeiro.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Afastado do comando da Satiagraha sob denúncias de vazamento de informação durante as investigações, Protógenes avalia que a decisão da Justiça reforça que o trabalho da investigação foi correto e dentro da lei.

É uma vitória do Brasil. Porque praticamente o Brasil tomou a postura de recorrer desta decisão e é uma decisão que tem como objetivo esperar que os fatos sejam devidamente esclarecidos, disse o delegado, que visitou hoje o Congresso Nacional acompanhado de parlamentares do PSol.

Protógenes disse acreditar que o dinheiro de Daniel Dantas que está em contas no exterior deverá ser repatriado ao Brasil e devolvido aos cofres públicos para investimentos em programas sociais.

Esse dinheiro bloqueado tem que ser repatriado para o Brasil para o seu destino final de onde ele foi retirado. Esse dinheiro deveria ser destinado à saúde, educação, segurança pública e foi destinado pra outras finalidades criminosas. É dinheiro sujo, é dinheiro que é produto de crime e deve ser repatriado pro Brasil, defendeu.

Leia mais sobre: Daniel Dantas

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG