Justiça do Rio quer ouvir Bruno e Macarrão

Os dois são acusados por seqüestro, cárcere privado e lesão corporal de Eliza Samudio

AE |

selo

O juiz Marco José Mattos Couto, que cuida do caso do goleiro Bruno Fernandes Souza pretende ouvir as 13 testemunhas de defesa e interrogar o goleiro e Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, no período de 30 dias em que eles estiverem à disposição da Justiça do Rio.

Os dois compareceram ontem à audiência no Fórum Regional de Jacarepaguá. Bruno e Macarrão ouviram os depoimentos de quatro testemunhas de acusação do processo em que são acusados do seqüestro, cárcere privado e lesão corporal de Eliza Samudio.

A defesa dos réus pediu que eles fossem dispensados da próxima audiência, ainda sem data marcada, para que pudessem retornar, imediatamente, para Belo Horizonte. Alegaram que os réus estavam distantes de suas famílias, Bruno de sua avó de 79 anos. O pedido, entretanto, foi negado pelo juiz Marco Couto, que acompanhou parecer do Ministério Público estadual.

    Leia tudo sobre: NACIONAL-GERAL

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG