A Justiça Federal determinou à Fundação Nacional do Índio (Funai) e à União a demarcação da terra indígena Awá Guajá, no Maranhão, e a retirada de toda a população não-índigena da região num prazo de 180 dias. A decisão foi dada após pedido do Ministério Público Federal (MPF) no Estado.

A demarcação deverá ser feita conforme os termos da Portaria nº 373/92 e um laudo elaborado pela perita oficial em antropologia Eliane Cantarino ODwyer. A área, que abrange trechos dos municípios de Zé Doca e São João do Caru, no noroeste do Maranhão, deverá ter também o registro imobiliário e ser homologada.

Com a decisão do juiz José Carlos do Vale Madeira, da 5ª vara, além da retirada de não-índios na região, todas as construções, cercas, estradas e outras obras dentro da reserva deverão ser removidas. Segundo o MPF, os awá guajás são um dos últimos povos caçadores e coletores do Brasil, com um estilo de vida nômade, baseado em rotas tradicionais que interligam cerca de seis ou sete grupos que vivem autonomamente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.