O vereador de Londrina Joel Garcia (PDT) foi afastado do cargo nesta sexta por determinação do juiz da 3ª Vara Cível de Londrina, Rafael Vieira de Vasconcelos, a pedido do Ministério Público Estadual (MPE). A decisão vem dois dias depois de o vereador ter sido libertado.

Acusado de peculato, em razão das investigações sobre suposta contratação de uma funcionária que não trabalharia no gabinete, ele ficou preso 54 dias, supostamente porque estaria constrangendo testemunhas.

Garcia já ficou afastado do cargo por poucos dias, após um pedido ser aceito na 7ª Vara Cível em 23 de dezembro do ano passado. Mas o Tribunal de Justiça restituiu o mandato dele em 15 de janeiro. Posteriormente, o MPE reforçou a necessidade de ele ser afastado, sob alegação de que poderia interferir nas investigações. No entanto, como estava preso, a Justiça desconsiderou o pedido. As alegações para o afastamento do cargo estão no processo, que corre em segredo de justiça.

Na quarta-feira, quando retomou o cargo após a prisão, Garcia disse considerá-la "ilegal" e alegou que as denúncias contra ele são apenas para causar prejuízo a sua imagem. O advogado do vereador, Maurício Carneiro, disse que, na próxima segunda-feira, entrará com um agravo de instrumento no Tribunal de Justiça. Ao mesmo tempo, fará um pedido para que o juiz da 3ª Vara Cível de Londrina reconsidere a decisão. "Entendemos que não é necessário o afastamento, porque tudo o que poderia ser feito para colheita de provas já foi feito nos 54 dias em que ele esteve preso", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.