Justiça decreta prisão de homem que atropelou ciclistas

Ricardo Neis atropelou grupo em Porto Alegre na última sexta-feira e fugiu sem prestar socorro

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

nullA Justiça do Rio Grande do Sul concedeu na noite desta terça o pedido de prisão preventiva contra o motorista que atropelou os ciclistas do grupo Massa Crítica na noite da última sexta em Porto Alegre. Os policiais buscam o homem em uma clínica da região metropolitana da capital.

A prisão preventiva de Ricardo Neis foi decretada pela juíza Rosane Michels e o despacho chegou à Polícia Civil no final da noite. Os policiais foram até a clínica onde Neis estaria internado na cidade de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça, o delegado Gilberto Montenegro, que investiga o caso, disse que vai indiciar o motorista por tentativa de homicídio duplamente qualificada , já que houve motivo fútil e os ciclistas não tiveram chance de se defender.

Durante a tarde, Ricardo Neis tentou se internar em clínicas psiquiátricas , o que acabou conseguindo depois de uma tentativa frustrada. "Ele está muito abalado com toda a situação, estressado e não tem condições de trabalhar. Internamos em uma clínica para ele tentar se recuperar", disse ao iG o advogado Jair Jonco.

À noite, pelo menos dois mil integrantes do grupo Massa Crítica participaram de um protesto nas ruas do bairro Cidade Baixa . Eles foram até a prefeitura municipal e participaram de uma reunião com o secretário de governança César Busatto. Ele convidou os ciclistas para uma reunião técnica com a Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) para discutir medidas em favor do uso de bicicleta em Porto Alegre.

Ricardo Neis, funcionário do Banco Central, conduzia seu Golf quando teve uma discussão com integrantes do Massa Crítica, que iniciavam a tradicional manifestação de ciclistas que ocorre na última sexta-feira de cada mês. Ele acelerou no meio do grupo e atropelou pelo menos 15 pessoas, sendo que oito tiveram ferimentos e foram encaminhadas ao Hospital de Pronto Socorro (HPS).

Ele fugiu sem prestar socorro às vítimas e só se apresentou à polícia na segunda-feira, alegando ter entrado em pânico e tentado proteger o filho de 15 anos, que estava no carro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG