Justiça de São Paulo nega habeas-corpus a Roger Abdelmassih

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo negou o pedido de habeas-corpus do médico Roger Abdelmassih, acusado de ter violentado 56 mulheres. A maioria das vítimas eram pacientes de sua clínica de fertilização em uma bairro da zona nobre da capital.

Agência Estado |

A votação, que ocorreu nesta sexta-feira, foi parcial. Dois desembargadores votaram contra o benefício e um votou a favor. De acordo com o TJSP, o julgamento do habeas-corpus já havia sido adiado duas vezes, medida usada quando os desembargadores precisam de mais tempo para analisar o caso.

AE

Abdelmassih ao ser transferido para Tremembé

Abdelmassih está preso desde 17 de agosto. No dia 25 do mesmo mês, ele foi transferido para a Penitenciária de Tremembé, no interior do Estado.

No dia 2 de setembro, a Câmara Municipal de São Paulo cassou o título de Cidadão Paulistano concedido ao médico em 2002. No dia 16, a juíza Kenarik Felippe, da 16ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, em São Paulo, negou o pedido de reconsideração da prisão do médico.

O caso

Roger é acusado de ter violentado 56 mulheres, a maioria ex-pacientes de sua clínica de fertilização, e está preso desde 17 de agosto.

No dia 25 do mesmo mês, ele foi transferido para a Penitenciária de Tremembé , no interior do Estado. Antes, ele estava detido no 40º Distrito Policial (DP), na Vila Santa Maria, na zona norte da cidade de São Paulo. No dia 2 de setembro, a Câmara Municipal de São Paulo cassou o título de Cidadão Paulistano concedido ao médico em 2002.

Leia mais sobre Abdelmassih

    Leia tudo sobre: roger abdelmassih

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG