Justiça de MG condena a 240 anos acusado por chacina de 2007

O crime foi conhecido como Chacina de Neves e o réu foi indiciado por 7 assassinatos triplamente qualificados

iG São Paulo |

A Justiça de Minas Gerais condenou na terça-feira, a 240 anos de prisão, João Paulo dos Reis Avelino, acusado de chefiar a gangue da Rua Guapé, que praticou o crime conhecido como “Chacina de Neves”, contra integrantes de uma gangue rival.

A chacina, que resultou na morte de sete pessoas e feriu outras 19, aconteceu em setembro de 2007, no momento em que mais de cem pessoas, a maioria mulheres e crianças, participavam de um churrasco num sítio alugado em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Minas Gerais.

Avelino foi o primeiro da gangue de oito réus a ser condenado por sete assassinatos triplamente qualificados e por 19 tentativas de assassinato também triplamente qualificadas, além de formação de quadrilha ou de bando e por crime de corrupção de menor, já que um dos réus era adolescente na época do crime.

O promotor de Justiça Marino Cotta Martins Teixeira Filho, do 1º Tribunal do Júri da Capital foi o responsável pela acusação. A pena foi fixada pelo juiz Fabiano Afonso, presidente do Tribunal do Júri de Ribeirão das Neves. O advogado Obregon Gonçalves atuou na defesa, sustentando a tese da negativa de autoria.

    Leia tudo sobre: crimechacinaassassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG