Justiça arquiva denúncia contra filha de Yeda

O procurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, Geraldo Da Camino, arquivou, por falta de provas, denúncia apresentada pelo PSOL contra a psicóloga Tarsila Crusius, filha da governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB), que levantava suspeitas sobre a aquisição de um imóvel por R$ 310 mil em junho de 2009. O PSOL considerou que a compra é incompatível com a atividade não remunerada exercida pela psicóloga, que preside o Comitê de Ação Solidária do governo do Estado.

Agência Estado |

"Em se tratando de encaminhamento desacompanhado de documentos com conteúdo indiciário ou probatório para embasar a atuação extraordinária do controle, entende-se ausente a justa causa, razão pela qual determino o arquivamento do expediente, sem prejuízo da retomada de sua análise caso surjam novos elementos", relatou Da Camino, em seu despacho. Na época em que a denúncia foi feita, em dezembro de 2009, o advogado de Tarsila, Fábio Medina, disse que sua cliente recebe renda como proprietária de uma loja na capital, tem poupança e crédito para contratar financiamento.

O vereador de Porto Alegre Pedro Ruas (PSOL) disse que irá pedir ao Tribunal de Contas para incluir o caso na análise ordinária dos agentes públicos. A Assembleia Legislativa aprovou, em maio de 2008, a lei 12.980, sancionada por Yeda, que prevê o controle sobre sinais aparentes de riqueza ou enriquecimento ilícito por agente público no exercício do cargo. Ela prevê que o controle deve ser feito pelo tribunal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG