Justiça anula absolvição de PM por morte de estudante no Rio

RIO DE JANEIRO - A Justiça julgará novamente o policial militar acusado de matar o estudante Daniel Duque, de 18 anos, na madrugada do dia 28 de junho do ano passado, na zona sul do Rio de Janeiro.

Agência Estado |

Por unanimidade, a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) fluminense aceitou nesta terça-feira o recurso da família do jovem e anulou o julgamento no qual o agente Marcos do Carmo havia sido absolvido .

Segundo testemunhas, Daniel Duque Pittman, de 18 anos, estava comemorando o aniversário de

Reprodução
Daniel foi morto na porta da boate
um amigo na boate Baronetti, em Ipanema, zona Sul do Rio. O jovem saiu por volta das cinco da manhã acompanhado de dois amigos. Ele teria seguido na frente com um dos amigos e se envolveu em uma briga com um grupo rival.

No meio da confusão estava Pedro Velasco, filho da promotora do MPE, Márcia Velasco. Para desfazer a confusão, o segurança dele, o policial militar Marcos Parreira do Carmo, deu dois tiros para o alto.

Segundo as investigações, durante a briga, Daniel tentou tirar a arma do PM que acabou efetuando mais um disparo que acertou o jovem. A vítima foi levada às pressas para o Hospital Copa D´or, em Copacabana, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

Veja também:

Leia mais sobre: Daniel Duque

    Leia tudo sobre: assassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG