Justiça adia greve de agentes penitenciários no MS

Agentes penitenciários do Presídio Federal de Campo Grande montaram acampamento em frente ao prédio da instituição, espalharam faixas e distribuíram cartazes sobre a greve que deveria ser iniciada hoje. Porém, uma decisão da 2ª Vara da Justiça Federal obrigou a manutenção das atividades em todos os setores da penitenciária, o que inviabilizou o movimento que será deflagrado somente depois de zero hora.

Agência Estado |

O descumprimento da determinação é punido com multa diária de R$ 5 mil, contra o sindicato da categoria.

O presidente da entidade, Yuri Mattos Carvalho, explicou que a Justiça agiu considerando ser hoje o dia de visitas no presídio, com a vinda de pessoas de outros Estados. "A partir de amanhã paralisaremos 50% dos 226 agentes. A outra metade ficará do lado de fora protestando e não arredaremos pé até que nossas reivindicações sejam atendidas. Para tanto, montamos barracas e estamos preparados para levar o movimento até o final, inclusive com o apoio de outros sindicatos de trabalhadores no Mato Grosso do Sul."

Eles não aceitam os termos da Medida Provisória (MP) 441, assinada no último dia 29 pelo presidente da República, criando o quadro de carreira e cargos. "Uma das questões criada com a MP é o aumento na carga horária que era de 176 horas semanais e passou para 192. O excesso de horas é pago como gratificação e queremos isso incorporado no salário, não como está. É preciso também a reposição das perdas salariais, atualmente calculada em R$ 400,00 por mês para cada servidor do presídio", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG