BRASÍLIA - A Justiça Federal em Belo Horizonte acolheu denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra 11 pessoas por produção e tráfico internacional de medicamentos. A quadrilha criou a fórmula de um produto, anunciado como fitoterápico, composto por substâncias psicotrópicas que causam dependência física e psíquica. O medicamento era vendido com o nome de Emagrece Sim e continha substâncias como clordiazepóxido, femproporex e fluoxetina.

Acordo Ortográfico

Os 11 envolvidos, presos em setembro de 2007 durante a Operação Vênus, da Polícia Federal, são acusados dos crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico, falsidade ideológica em documentos públicos, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

De acordo com o MPF, a venda e distribuição de medicamento produzido irregularmente e sem qualquer autorização das autoridades responsáveis também configura crime hediondo.

O laboratório da quadrilha, que fabricava o medicamento para exportação, chegou a ser interditado em 2006, mas foi transferido pelos réus para outro local. O Emagrece Sim era vendido em países como Venezuela, Estados Unidos, Peru, Panamá, República Dominicana, Haiti, Espanha e Reino Unido, a preços que variavam entre US$ 85 e US$ 300.

A Justiça já determinou a interdição de todo o patrimônio do grupo adquirido com lucros do comércio irregular do medicamento falso.

O MPF deve enviar às autoridades dos Estados Unidos e da Venezuela documentos para colaborar com a investigação de parceiros internacionais da quadrilha brasileira nos dois países.

Leia mais sobre: medicamentos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.