Justiça aceita denúncia feita contra PMs envolvidos em morte de líder do AfroReggae

RIO DE JANEIRO ¿ A Justiça Militar do Estado do Rio de Janeiro aceitou nesta terça-feira a denúncia do Ministério Público feita contra os dois policiais militares envolvidos na morte do coordenador do AfroReggae, Evandro João da Silva, baleado em outubro durante um assalto no Centro do Rio. A prisão preventiva dos PMs também foi mantida.

iG Rio de Janeiro |

O capitão Dennys Leonard Nogueira Bizzarro e o cabo Marcos de Oliveira Sales foram denunciados pelos crimes de furto qualificado e prevaricação (praticado por um funcionário público contra a administração pública). Bizzarro também foi denunciado por falsidade ideológica.

Os agentes são acusados de não terem efetuado a prisão em flagrante dos homens que assaltaram e assassinaram Evandro. Eles são acusados ainda de terem subtraído dos criminosos alguns objetos pessoais do coordenador do AfroReggae que tinham sido roubados.

AE

Imagem feita por câmera mostra policial militar com pertences de Evandro na mão

Para a juíza Ana Paula Barros, a custódia cautelar dos acusados é necessária para garantir a ordem pública e para evitar que as evidências dos delitos sejam modificadas.

Caso estivessem em liberdade, os acusados poderiam causar repercussões danosas e prejudiciais na sociedade, inclusive com a reiteração das condutas que serão melhor apuradas quando da instrução criminal, escreveu a magistrada.

O interrogatório dos policiais militares está marcado para o próximo dia 24 de novembro, às 16 horas.

Assista ao vídeo sobre o caso:

Relembre o caso:

Leia mais sobre: AfroReggae  - violência no Rio

    Leia tudo sobre: afroreggaeviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG