Justiça acata denúncia de homicídio contra ex-deputado

A Justiça acatou a denúncia por duplo homicídio qualificado contra o ex-deputado estadual do Paraná, Fernando Ribas Carli Filho, de 26 anos, dando início ao processo criminal. Carli Filho é acusado de, ao dirigir embriagado e em alta velocidade, ter causado um acidente que provocou a morte de Gilmar Rafael de Souza Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20 anos, na madrugada do dia 7 de maio, no Bairro Mossunguê, em Curitiba.

Agência Estado |

Carli Filho também tinha a Carteira Nacional de Habilitação suspensa, em razão de ter somado 130 pontos por irregularidades. Ele renunciou ao mandato, quando o caso seria analisado pela Comissão de Ética.

O juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri da capital paranaense, Daniel Ribeiro de Avelar, deu prazo de dez dias para que o ex-deputado apresente a defesa por escrito. Na fase de inquérito, ele alegou não se lembrar de nada no dia do acidente. De acordo com Avelar, a "materialidade dos fatos narrados" aliada aos depoimentos de testemunhas trouxeram "suficientes indícios" de que Carli Filho realmente foi o autor do acidente. O advogado do ex-deputado, Roberto Brzezinski Neto, está em viagem e não foi encontrado para comentar a decisão da Justiça.

Na denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná, os promotores Danuza Nadal e Marcelo Balzer Correia apontaram, com base em laudos do Instituto de Criminalística, que o ex-deputado dirigia um Passat em velocidade entre 161 e 173 quilômetros por hora, chegando a decolar quase um metro acima do asfalto. No local da colisão, a velocidade máxima permitida é de 60 quilômetros por hora. Os exames também mostraram que ele estava com 7,8 decigramas de álcool por litro de sangue. As duas vítimas morreram no local do acidente. O Honda em que estavam ficou totalmente destruído.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG