Julgamento de suspeitos de matar engenheira é adiado

A primeira audiência do processo que vai julgar quatro policiais militares pelo homicídio da engenheira Patrícia Amieiro, que aconteceria hoje no 3º Tribunal do Júri na Justiça do Rio de Janeiro, foi adiada a pedido da defesa dos PMs. Nova data ainda não foi marcada.

Agência Estado |

Além da inclusão do depoimento de um guardador de carros que disse que a jovem foi morta por traficantes da favela da Rocinha, o processo vai ter ainda o resultado de novas diligências para esclarecer dúvidas do laudo pericial.

Em seu despacho, o juiz Fábio Uchôa Pinto de Miranda Montenegro, da 1ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, informou que a data da audiência será marcada depois que forem providenciadas cópias de CDs com informações do processo, entre elas as imagens do carro de Patrícia, além da cópia do Inquérito Policial Militar, "com a finalidade de resguardar a ampla defesa dos réus".

A engenheira desapareceu há um ano. Seu carro foi encontrado às margens do Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, zona oeste. Quatro PMs do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) são suspeitos do crime e estão presos. Na semana passada, a PM fez uma operação na favela da Rocinha para tentar encontrar o corpo de Patrícia depois de revelar que denúncias apontavam que a engenheira teria sido sepultada em um cemitério clandestino. Nada foi encontrado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG