Julgamento de ministro acusado de venda de sentenças é adiado para quinta-feira

BRASÍLIA- O julgamento do caso do ministro afastado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina, acusado de crimes contra a administração pública, continuará nesta quinta-feira, a partir das 9h.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

Medina e outras três pessoas são citadas no processo da Operação Furacão - ação da Polícia Federal que investigou um esquema de venda de sentenças destinadas a beneficiar a máfia dos caça-níqueis.

O que está em julgamento na Suprema Corte é se uma ação civil pública será aberta ou se o processo será arquivado.

O caso começou a ser julgado em plenário na tarde desta quarta-feira, quando quatro advogados defenderam os acusados, e o relator da ação, ministro Cezar Peluso, apresentou um rápido parecer explicando o cronograma da ação.

A sessão desta quarta-feira seria fechada à imprensa por orientação de Peluzo, sob alegação de que o processo corre em segredo de Justiça. No início da tarde, porém, os ministros da Suprema Corte decidiram, por unanimidade, realizar o julgamento em reunião aberta.

Leia mais sobre: venda de sentenças

    Leia tudo sobre: venda de sentenças

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG