BRASÍLIA - O relator do processo no Supremo que trata do aborto de fetos anencéfalos, ministro Marco Aurélio Mello, não confirmou sua previsão inicial de julgar o caso em novembro. De acordo com ele, após a série de audiência públicas, prazos são abertos para o Ministério Público e para demais instruções processuais, fazendo com que o encerramento previsto para o final deste ano seja otimista em excesso.

Acordo Ortográfico

"Não há pressa nesse processo. De início a previsão é novembro, mas há quem diga que sou otimista em excesso", explicou.

O relator ainda comentou que as quatro audiências públicas realizadas pelo Supremo "garantem uma conclusão segura para atender os interesses" de vários setores da sociedade.

Disse também que a paralisação de quatro anos no processo, que ficou estagnado desde 2004, foi de extrema importância, justamente para a realização das audiências.

Questionado sobre o impacto do caso na sociedade, Marco Aurélio comentou que este é um dos grandes julgamentos do Supremo, mas que fica atrás da Raposa Serra do Sol quando avaliada a sua repercussão social.

Leia também

Leia mais sobre: aborto - anencéfalos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.