Juízes em Minas provam e sentem o aroma do melhor café do Brasil

Por Peter Murphy MACHADO, Minas Gerais (Reuters) - Terminou nesta sexta-feira a Cup of Excellence, nona edição de um evento destinado a escolher o melhor café do Brasil e demonstrar que o país não só é o maior produtor mundial, mas que também tem cafés de ótima qualidade.

Reuters |

O vencedor, segundo o chefe do júri, Erwin Miersch, foi "um tipo complexo e quase perfeito de café, com todos os sabores, de cana-de-açúcar a frutas, consistente e pleno."

Durante toda a semana, os juízes cheiraram, provaram e, como numa degustação enológica, cuspiram café para apontar o melhor entre os 43 finalistas. Os grãos vencedores -- cuja fazenda e região de origem serão divulgadas na cerimônia de premiação, na sexta-feira à noite -- serão leiloados em janeiro, assim como todos os 22 mais bem qualificados.

Cafés especiais, como esses, alcançam várias vezes o preço dos grãos comuns. O Cup of Excellence tem competições em vários países produtores da variedade arábica, para estimular o aperfeiçoamento da qualidade.

Na sala do júri, os diversos cafés concorrentes foram posicionados sobre mesas e numerados. De avental verde, os provadores passavam por cada amostra, fazendo suas anotações. Após apreciarem o aroma do pó, assistentes colocavam uma quantidade exata de água em cada xícara, numa temperatura precisa.

Ouvia-se então o barulho das colherinhas dando as três mexidas regulamentares, e o ruído dos lábios sorvendo a bebida diretamente da colher e espalhando-a pela boca, sobre as papilas gustativas.

Lançado em 1999 para combater a idéia de que o Brasil não tinha cafés de grande qualidade, o evento Cup of Excellence já se espalhou para oito países das Américas, além de Ruanda.

Após quase duas horas de minuciosa discussão -- sobre características como "acidez elegante" e sabores "toffee" e até "salsicha" -- os juízes contabilizaram as notas e chegaram ao ganhador.

"Encontrei um gosto de geléia que parece absurdo", disse Stephen Hurst, diretor da corretora britânica de cafés Mercanta. "Até encontrei Bovril, mas as pessoas não sabiam o que era", disse ele, referindo-se a uma bebida maltada, com sabor de carne, que é popular na Grã-Bretanha.

Os juízes costumam se referir aos sabores comparando-os com alimentos específicos dos seus países. Várias nacionalidades foram deliberadamente escolhidas para garantir que o vencedor não agrade ao paladar de apenas uma região.

Até os juízes admitem que sua imaginação vai longe na hora de comparar os sabores, gerando situações engraçadas. "Você se refere a 'blueberries' (fruta comum no hemisfério norte) frescas ou a torta de 'blueberries'", brincou um deles diante de um comentário de um colega.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG