Juiz questiona sequência não-autorizada de clássico de Salinger

NOVA YORK ¿ O juiz de uma corte de apelação dos EUA classificou uma continuação não-autorizada do romance clássico O apanhador nos campos de centeio, de J.D. Salinger, como um trabalho bastante medíocre nesta quinta-feira, e questionou se o livro prejudicaria o famoso escritor.

Reuters |

Os advogados do autor sueco Fredrik Colting, que escreveu "60 Years Later: Coming through the Rye" ('60 anos depois: saindo dos campos de centeio', em tradução livre), apelaram da sentença de julho de uma corte a favor de Salinger, que processou para impedir a publicação nos EUA.

Um painel de três juízes de uma corte de apelação americana questionou os advogados de Salinger e Colting se o novo livro causaria um dano irreparável a Salinger, o que daria apoio legal para bloquear seu lançamento nos EUA. O livro de Colting já está disponível em lugares como a Grã-Bretanha, onde foi classificado como uma sequência de "O apanhador nos campos de centeio".

"O fato é que qualquer um pode entrar na Internet e comprar a edição londrina", disse o juiz Guido Calabresi, indagando se a Internet afetou a coleta de direitos autorais a autores, criando um limbo jurídico.

Salinger, um recluso cujo romance de 1951 é considerado uma das maiores obras da literatura norte-americana, não comentou nem deu nenhum depoimento sobre o caso.

Marcia Paul, advogada de Salinger, disse que seu cliente recusou ofertas do produtor de Hollywood Harvey Weinstein e do diretor Steven Spielberg para escrever uma sequência. "Salinger não deseja autorizar uma sequência ou uma variação", disse ela.

Já o advogado de Colting disse não haver prova de que o livro de seu cliente iria diminuir o valor de uma possível sequência de Salinger, que poderia render milhões de dólares adiantados ao autor.

(Reportagem de Christine Kearney)

    Leia tudo sobre: literatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG