Santo Domingo, 26 jun (EFE).- O juiz dominicano Hugo Álvarez, que celebrou o casamento de Michael Jackson e Lisa Marie Presley em 1994, disse hoje que o artista era uma pessoa tímida, infeliz e muito manipulada por seu entorno.

"Era como um ser com dupla personalidade. O que se vê nos vídeos e músicas não se podia apreciar no trato pessoal, pois era uma pessoa tímida, calada, ao contrário da imagem que se vendia dele", disse Álvarez em conversa por telefone com a Agência Efe.

Na época juiz civil e hoje dedicado ao exercício privado da advocacia na cidade de La Vega (150 quilômetros ao norte de Santo Domingo), casou os dois em 26 de maio de 1994 em cerimônia realizada em sua própria casa e que durou dez minutos.

Além do juiz, assistiram ao casamento dois guarda-costas, duas testemunhas, um advogado e um tradutor que convertia ao inglês cada frase da cerimônia.

Michael e Lisa Marie pretendiam se casar durante um voo sobre a República Dominicana, segundo tinham pedido ao juiz os advogados do cantor, mas a lei dominicana não permitia isso, e, por isso, acabou acontecendo na casa de Álvarez.

Sobre a cerimônia, considerada por muitos forjada para melhorar a imagem de Michael, afetada por acusações de abusos a menores, o ex-juiz disse que "há coisas que não se podem dizer, mas houve algo disso", embora tenha evitado entrar em detalhes.

Álvarez revelou que os advogados do "rei do pop" exigiram que guardasse segredo sobre a cerimônia, e que ele concordou com isso, mas se negou a assinar um documento nesse sentido, já que as atas de casamento são públicas, segundo as leis dominicanas.

O casal chegou à República Dominicana dois dias antes da cerimônia e ficou na zona turística de La Romana até a celebração.

No total, o casal ficou em La Vega menos de meia hora e o cantor deixou o país no mesmo dia, pois sua gravadora reclamou o avião que tinha levado Michael a La Romana.

Ao sair da casa, o juiz manteve uma curta conversa com o astro.

"Perguntou a antiguidade de uma árvore que havia na casa, mas não pude responder. Também me convidou a visitá-lo com meus filhos se alguma vez fosse a Los Angeles, já que ele tinha ali um parque de diversões", contou.

Quando, meses depois, Michael e Lisa Marie se separaram, os advogados entraram em contato de novo com o juiz, com quem falaram sobre a possibilidade de o divórcio acontecer na mesma cidade que o casamento, "mas nada se concretizou", afirmou. EFE jsm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.