Londres, 23 dez (EFE).- O cantor Boy George, em liberdade condicional por manter um garoto de programa em cárcere privado, foi proibido hoje pela Justiça de participar de mais uma edição britânica do reality show Big Brother.

O juiz David Bean, da Suprema Corte de Londres, manteve a decisão do Serviço de Liberdade Condicional, que já tinha vetado a participação do artista no programa.

Boy George, de 48 anos, tinha pedido ao Supremo de Londres que anulasse a proibição do Serviço de Liberdade Condicional e o liberasse a tempo para a edição do reality que começará a ser exibida em 3 de janeiro pela rede de TV "Channel 4".

A advogada do músico, Alison MacDonald, baseou o pedido no desejo do cantor de reconstruir sua carreira e reputação.

O artista, cuja movimentação é controlada por um dispositivo eletrônico, conseguiu a condicional depois de ter cumprido quatro meses de prisão por ter agredido e mantido em cárcere privado um garoto de programa norueguês de 29 anos.

Para a advogada de Boy George, o cantor foi proibido de participar do "Big Brother" porque as autoridades temem tanto o assédio da imprensa ao Serviço de Liberdade Condicional como a desmoralização do órgão.

Porém, segundo MacDonald, o trabalho deste serviço é acompanhar de perto o comportamento dos condenados, proteger a população e reabilitar o detento, em vez de puni-lo.

O juiz que se pronunciou sobre o caso disse que outra ocasião apresentará os motivos de sua decisão. EFE vg/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.