Juiz nega pedido de liberdade provisória a réu do mensalão

GUARULHOS - O juiz federal Alessandro Diaféria negou nesta segunda-feira (8/12), em plantão judiciário no Fórum da Justiça Federal em Guarulhos, pedido de liberdade provisória para Enivaldo Quadrado. O empresário foi preso em flagrante na madrugada do último sábado (6/12), no aeroporto Internacional de Cumbica, portando 361 mil euros não declarados à Receita Federal.

Redação com agências |

Acordo Ortográfico Enivaldo é réu no processo do mensalão, escândalo de compra de votos no Congresso Nacional que veio à tona em 2005, e responde por crime contra o Sistema Financeiro Nacional e de lavagem ou ocultação de bens, direito e valores.

Não se faz qualquer juízo de valor sobre o fato de a pessoa responder a inquéritos ou ações penais, em face do princípio da presunção de inocência, disse o juiz. No entanto, chama a atenção a expressiva quantia apreendida e a preexistência de processo criminal envolvendo lavagem de dinheiro. Pode ser coincidência, mas não há como ignorá-la. O juiz concluiu que o caso requer cautela e indeferiu o pedido de liberdade provisória.

Quadrado é ex-sócio da corretora de valores Bônus-Banval e foi arrolado no processo sobre o mensalão sob a acusação de que usava a empresa como fachada para as operações financeiras irregulares. De acordo com comunicado da Receita Federal, ele foi descoberto com os euros ao desembarcar de um vôo procedente de Lisboa e a ação fiscal resultou de denúncia feita à Polícia Federal de suspeita de porte de entorpecente.

Conforme relatou aos agentes da Receita, o empresário justificou que tomou o dinheiro emprestado de um amigo que mora em Portugal. Ele pretendia usar a quantia na compra de automóveis para revenda no Brasil.

Leia mais sobre: mensalão

    Leia tudo sobre: mensalão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG