Juiz intima pilotos do Legacy para depor sobre voo 1907

O juiz da 2ª Vara da Justiça da Comarca de Peixoto de Azevedo (MT), Tiago de Souza Nogueira de Abreu, indeferiu os pedidos de tutela em duas ações de indenização propostas pelas famílias das de vítimas do acidente com o voo 1907, ocorrido em 29 de setembro de 2006 entre um Boeing da Gol e um jato Legacy. Na mesma decisão o juiz determinou a intimação dos norte-americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, pilotos do jato, para que eles deponham por carta rogatória (instrumento jurídico de cooperação entre dois países).

Agência Estado |

A decisão foi publicada no diário da Justiça de ontem.

Além dos pilotos, foram intimadas as empresas Raytheon Company, fabricante do software de controle aéreo; Lockheed Martin, que produz turbinas; Excelaire Service e Honeywell International, que fabricam o transponder (aparelho que envia e recebe sinais para outros aviões e torre de controle); Aviation Communicatios & Surveillance Systems e Amazon Technologies Company.

No dia 29 de setembro de 2006, o avião da empresa área Gol fazia o voo 1907, de Manaus a Brasília, quando se chocou com o jato executivo Legacy, que vinha de São José dos Campos (SP). A 37 mil pés de altitude, na região de Mato Grosso, próximo ao município de Peixoto de Azevedo, a ponta da asa esquerda do Legacy colidiu com o Boeing provocando a queda da aeronave da Gol, que levava 154 pessoas a bordo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG