LOS ANGELES ¿ A Corte Superior do condado de Los Angeles tomou hoje uma decisão a favor de Jennifer López em processo contra seu ex-marido Ojani Noa, que queria usar um vídeo de sua lua de mel em um documentário.

A cantora tinha acionado a Justiça no dia 9 de novembro, quando soube que Noa tentava produzir e distribuir imagens dos dois quando eram um casal, em filme biográfico que teria o título "How I Married Jennifer López: The JLo and Ojani Noa Story".

Noa tem em seu poder mais de 11 horas de gravação caseira de seu relacionamento com JLo, que supostamente aparece em 20% das imagens.

"Estão tentando impedir que faça meu documentário e estou lutando por meus direitos. Não estão sendo justos", comentou Noa na saída do julgamento à revista "People".

A polêmica sobre o vídeo cresceu depois que especulou-se que a fita mostrava Noa e JLo mantendo relações sexuais, informação negada pelo advogado da cantora.

"Não havia nada próximo a sexo. Nunca dissemos isso, mas mesmo assim é algo privado e pessoal para minha cliente", explicou John Lavely. A gravação tem cenas do ex-casal na Flórida e da lua de mel em Cuba.

O casamento de López e Noa durou menos de um ano, entre 1997 e 1998. Posteriormente a cantora se casou com Chris Judd (entre 2001 e 2002) e finalmente se tornou em 2004 a mulher do também cantor e ator Marc Anthony.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.