SÃO PAULO - O juiz Edemar Gruber, titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Joaçaba, julgou nesta quarta-feira, 11, parcialmente procedente ação proposta por Flávio Junior Biassi para determinar que a aposta vencedora do sorteio 898 da Mega-Sena , de 1º de setembro de 2007, no total de R$ 27 milhões, seja dividida entre ele e seu patrão, o serralheiro Altamir José da Igreja.

O caso foi destaque no ano passado quando se anunciou que o prêmio acumulado da loteria da Caixa Econômica Federal (CEF), no total de R$ 54 milhões, havia sido ganho por dois apostadores. Um deles era de Joaçaba. Altamir Igreja apareceu então com o bilhete e resgatou sua parte. Flávio, funcionário da serralheria mantida por Igreja, contudo, logo veio à cena para reclamar o prêmio, sob alegação de ter fornecido os números e o dinheiro para a confecção da aposta.

A decisão do magistrado entende que isso efetivamente ocorreu, porém analisa que partiu do próprio Flávio, em declarações fornecidas para a imprensa na época dos fatos, a intenção de dividir o prêmio com o seu patrão.

A sentença determina que o prêmio seja repartido em 50% para as partes, que ainda podem recorrer da decisão junto ao Tribunal de Justiça.

Leia mais sobre: Mega-Sena

    Leia tudo sobre: mega-sena
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.