Juiz canadense encerra processo de paternidade contra Keanu Reeves

Toronto (Canadá), 7 jan (EFE).- Um juiz canadense rejeitou um processo de paternidade apresentado contra o ator Keanu Reeves por uma mulher canadense, ao considerar suas declarações inacreditáveis e um possível julgamento um esbanjamento de recursos.

EFE |

Segundo informaram veículos de comunicação locais, Karen Sala queria que Reeves pagasse US$ 3,15 milhões por mês por ser o suposto pai de seus três filhos (que têm entre 21 e 25 anos) apesar de provas de DNA demonstrarem que nenhum deles tem relação genética com o ator.

Sala, que vive na localidade de Barrie, cerca de 100 quilômetros a norte de Toronto, também alegou que Reeves se disfarçava para segui-la, que prometeu casar-se com ela e levá-la à cerimônia do Oscar. Como se não bastasse, disse ainda que o ator utilizou hipnose para modificar os resultados dos testes de DNA.

A mulher afirma que manteve relações sexuais com Reeves sem saber que era o ator, pois ele se disfarçava.

O juiz Fred Graham disse que, embora seja evidente que as alegações são inacreditáveis, também ficou claro que Sala está convencida de que são verdadeiras.

Graham também condenou a Sala a pagar US$ 15.000 a Reeves por conta das despesas jurídicas. EFE jcr/fm

    Leia tudo sobre: keanu reeves

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG