O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse hoje que a Medida Provisória (MP) 442, que permite ao Banco Central socorrer pequenos e médios bancos, não será votada na próxima semana pelo plenário da Casa. Pelo acordo feito com a oposição, na terça-feira da semana que vem serão votadas quatro MPs que estão trancando a pauta e a indicação de Arthur Badin para a presidência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A MP 442 ainda não chegou ao Senado, apesar de já ter sido aprovada esta semana na Câmara.

A orientação do governo, segundo Jucá, é não fazer alterações no texto já aprovado na Câmara para evitar que a MP tenha de ser votada novamente pelos deputados. Nas conversas que manteve com senadores da oposição, o líder do governo avaliou que não haverá dificuldades para aprová-la. "Não vejo nenhuma polêmica", disse. O senador ressaltou também que, até agora, nenhum representante da base aliada manifestou interesse em mexer no texto.

Durante a tramitação da MP 442 na Câmara, o líder do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), apresentou emenda à proposta do governo. Mas Jucá afirmou que, até o momento, o colega não o procurou para dizer se pretende resgatar a proposta por meio de destaque. Pelo regimento, apenas o relator pode apresentar emendas. "Para emendar, tem que ter uma justificativa forte de que a medida ficaria melhor", concluiu o líder.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.