Jovens obesos podem sofrer de excesso de gordura no fígado

Adolescentes acima do peso estão sendo atingidos por um mal silencioso, que era restrito a alcoólatras e aos que tiveram hepatite: a esteatose hepática não alcoólica, ou excesso de gordura no fígado. Se não for tratada, a doença pode evoluir para cirrose.

Agência Estado |

Metade dos 300 jovens entre 15 e 19 anos atendidos pelo Grupo de Estudos da Obesidade da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) tinha esteatose hepática não alcoólica. “É preocupante, porque a doença danifica profundamente as funções do órgão e, a cada ano, percebemos que a prevalência aumenta entre os jovens”, afirma a nutricionista Aline de Piano, autora do estudo.

A esteatose, que atinge até 5% da população brasileira e 90% dos obesos mórbidos, é causada pelo acúmulo de gordura no abdome, predisposição genética e ingestão elevada de carboidratos e alimentos com gordura saturada.

Estudo de 2007 sobre prevenção de obesidade entre crianças e adolescentes do governo do México, publicado pela Organização Pan-Americana da Saúde, diz que a obesidade é a primeira causa de doenças no fígado em jovens.

Para tratar a doença, é preciso fazer dieta e atividade física. Mas a perda de peso deve ser gradual, no máximo 1 quilo por semana. “Senão, o fígado não dará conta de sintetizar a gordura e ela se acumulará ainda mais no órgão”, diz a nutricionista. Nos casos mais graves, o paciente tem de tomar medicamentos. A pesquisa da Unifesp mostrou que 8% dos que passaram pelo tratamento conseguiram se curar. As informações são do Jornal da Tarde.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG