Jovem seqüestra ex-namorada por 4 horas em Curitiba

Uma adolescente de 17 anos permaneceu hoje durante quatro horas em poder do ex-namorado Maicon Andrade, com quem tem uma filha de oito meses, rodando em ônibus de Curitiba. Segundo denúncias feitas por amigos e familiares da adolescente, Andrade estava armado e seqüestrou a ex-namorada no início da manhã, quando ela chegava para as aulas em uma escola no Bairro Santa Cândida.

Agência Estado |

A jovem foi solta, sem qualquer ferimento, às 11h30, quatro horas depois, no Bairro Cabral. Andrade ainda não foi preso.

Segundo uma prima de J.A.G., que ia com ela para a escola, o rapaz abordou as jovens logo que desceram do ônibus. Elas ainda tentaram pedir ajuda porque ficaram com medo, visto que a adolescente tinha desmanchado o namoro havia alguns dias. "Ele começou a conversar todo manso, que só queria a amizade dela", disse a prima. Quando elas disseram que precisavam ir para a aula, ele tirou um revólver de uma mochila, disse, e passou a ameaçá-las.

De acordo com a prima, Andrade puxou J.A.G. pelo braço, enquanto era observado por vários colegas da escola. Eles ainda teriam tentado impedi-lo, mas foram obrigados a retroceder sob ameaça. O rapaz de 22 anos desapareceu com a adolescente no meio do mato. Policiais de várias unidades foram acionados. Porém, a adolescente somente foi liberada quatro horas depois.

Segundo o comandante da Companhia de Choque, major Chehade Elias Geha, a adolescente, de 17 anos, manteve a calma e foi importante na solução do caso. "Ela foi bastante inteligente no tratamento com ele, dando a impressão de que poderia conversar e, até, mais tarde, reatar. Ela não se opôs bruscamente à sua ação", afirmou. "Rodaram a cidade até que ele continuou observando a movimentação grande e abandonou-a." A mãe de J.A.G., Almira Gomes de Lima, reforçou que sua filha se manteve calma e procurou acalmar Andrade durante todo o tempo.

Ameaças

O relacionamento entre os dois durou um ano e oito meses. Quando terminou, a mãe da adolescente disse que o rapaz foi a sua casa, numa primeira vez, e ameaçou a ela e a seu marido, mas eles não registraram queixa. Em uma segunda vez, ele acabou maltratando a mãe de Alzira, que tem 72 anos, e seqüestrou, por duas horas, a filha que tem com a adolescente. A polícia foi mobilizada e ele acabou abandonando o bebê com a avó paterna.

Foi feito registro na polícia, a adolescente passou a morar com um tio, já que Andrade teria passado a rondar a casa, e a família contratou uma advogada. "Ele já tinha entrado em acordo com a advogada que ia ver a menina todos os sábados das 8 ao meio-dia, mas hoje acabou fazendo isso", disse a mãe da adolescente. "A gente vê todos os casos que estão tendo na televisão, mas não imagina que vai acontecer com a filha da gente, por isso ainda estou apreensiva, espero que seja preso porque foragido a gente não vai ter paz."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG