Jovem revela que usou produto químico em trote em SP

A estudante de pedagogia Layanne Cristine da Silva, suspeita de causar queimaduras em quatro calouros durante trote na Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul, no interior de São Paulo, admitiu em depoimento à polícia que foi a responsável por jogar o produto químico que feriu a estudante Priscila Vieira Muniz, grávida de quatro meses. Porém, Layanne negou ter jogado a substância nas costas de outras três vítimas: Adrian Garcia, Priscila Callado Soares e Jéssica Silva Rezende.

Redação com Agência Estado |

Em depoimento ao delegado da Mulher, Gervásio Favaro, a acusada disse que comprou creolina para jogar nos calouros, mas não sabia das consequências que a "brincadeira" poderia ocasionar. Ela afirmou que jogou o produto em outro aluno, que a polícia espera ouvir na próxima semana. Layanne negou ter misturado outras substâncias com a creolina, o que teria provocado as queimaduras.

Futura Press

Jovem sofreu queimaduras em trote


No entanto, a polícia suspeita da versão da estudante e tem o depoimento de uma segunda vítima, Priscila Soares, que reconheceu Layanne por fotos. A polícia espera resultados de laudos periciais sobre as lesões para concluir o inquérito e indiciar Layanne.

No dia 9 deste mês, durante o trote da Fundação, duas jovens foram internadas e medicadas com injeções e soro para amenizar dores e sintomas de intoxicação, causados pelo produto utilizado. A estudante grávida Priscila Vieira Muniz, teve queimaduras de primeiro grau nas duas coxas, nádegas, costas e cotovelo.


Leia também:


Leia mais sobre:  trotes

    Leia tudo sobre: trotes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG