A sentença do goiano Mohammed D’Ali Carvalho dos Santos, condenado ontem a 21 anos de prisão pelo assassinato da inglesa Cara Marie Burke, foi anunciada às 23 horas pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, do 1º Tribunal do Júri de Goiânia. Durante seu julgamento, Mohammed detalhou como matou e esquartejou Cara e ocultou o cadáver.

Segundo ele, o casal começou a discutir em casa. A inglesa teria ameaçado contar à mãe dele que era usuário de drogas.

No depoimento, Mohammed ainda admitiu ter cometido atos violentos desde a infância. “Eu pegava gatos na rua, amarrava o pescoço no alto do muro, fazia o cachorro alcançar o gato até arrancar o pescoço”, afirmou, rindo. “Eu não acho nada horripilante.” Ao depor, o psicólogo Fred Lacerda, contratado pela defesa, confirmou parecer dado pelo Tribunal de Justiça de Goiás, segundo o qual o réu tem transtorno de personalidade antissocial.

A namorada de Mohammed, Helen de Matos Vitoy, que depôs como testemunha de defesa, disse que ambos têm um filho de 2 meses e disse acreditar que eles poderão viver em família. Bruce Lee, irmão mais velho de Mohammed confirmou que o réu tentou matá-lo na adolescência. Ele mostrou cicatrizes que seriam resultantes de facadas. As informações são do Jornal da Tarde .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.