O ex-estudante de Jornalismo na USP Fábio Le Senechal Nanni foi condenado nesta quinta-feira a 18 anos de prisão pelo assassinato de Rafael Fortes Alves, seu colega de faculdade, com quem dividia uma república estudantil.

O crime aconteceu na manhã de 14 de outubro de 2005 dentro da Rádio USP. Nanni foi ao local de trabalho da vítima e o matou com uma facada no peito. A decisão do 5º Tribunal do Júri da capital foi unânime.

O julgamento durou cerca de 11 horas. Nanni, de 25 anos, respondia por homicídio duplamente qualificado: por motivo torpe (o fim da amizade entre eles) e por utilizar recursos que impossibilitaram a defesa da vítima. Segundo a sentença do juiz Cassiano Ricardo Zorzi Rocha, ele vai responder inicialmente em regime fechado.

Estou triste em dizer que estou alegre, diz a mãe da vítima, Maria Lúcia Fortes. Não queria que outra família sofresse, mas foram quatro anos de esperança que a justiça fosse feita. Os advogados afirmaram que vão recorrer da decisão.

Era evidente que o Fábio tinha problemas. Mas infelizmente a decisão foi prejudicada por causa do clamor popular, diz a advogada Maria Adelaide França.

A defesa manteve a tese de que o réu deveria ser considerado semi-imputável, pois sofreria de transtornos em decorrência de um abuso sexual sofrido quando tinha 10 anos.

Leia mais sobre assassinato

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.