Agentes da Delegacia de Repressão às Armas e Explosivos (Drae) prenderam nesta manhã Agnolha Lucio da Silva, de 24 anos, na Rodoviária Novo Rio com uma pedra de crack de um quilo. Ela vinha de São Paulo onde trabalhava como garota de programa há um mês, de acordo com a polícia.

Aos jornalistas, ela disse que trabalhava como modelo em João Pessoa, na Paraíba, e tentava a carreira na capital paulista.

Agnolha disse desconhecer que transportava a droga e afirmou que foi contratada por telefone por um homem que lhe pagaria mais de R$ 1 mil para transportar "um remédio que não vende em farmácia". O autor da encomenda foi um presidiário da Paraíba identificado pela polícia apenas com Gino.

"Não existe uma nova rota, pois o crack continua vindo de São Paulo, mas o que surpreende é que um detento da Paraíba esteja enviando o entorpecente para o Rio", disse a delegada da Drae, Márcia Becker.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.