Segundo a família, o estudante era vítima de brincadeiras preconceituosas feitas pelos colegas da escola

Um adolescente de 14 anos se entregou à polícia nesta quarta-feira, ao assumir o assassinato de Matheus Avragov Dalvit, de 15 anos. A vítima foi morta com um tiro no peito, quando descia de um ônibus na região onde morava com a família, na Vila Farrapos, bairro pobre de Porto Alegre e com forte presença do tráfico de drogas. Dalvit cursava a 6ª série do ensino fundamental. Segundo a mãe do menino, Tatiana Avragov, seu filho era vítima de bullying na instituição e a direção da escola estava ciente.

Na tarde desta quarta-feira, o menor acusado de ser o autor do disparo foi ouvido pelo delegado Andrei Vivan no Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca). Em depoimento, o garoto afirmou que não está estudando e que seria apenas amigo dos colegas de escola de Dalvit, também responsáveis pelo bullying.

Segundo o acusado, os dois teriam uma rixa e, na ocasião, a vítima o teria ameaçado de dentro do ônibus. Ao descer do coletivo, os dois teriam discutido e Dalvit utilizado um guarda-chuva para agredir o outro menor. Nesse momento, o atirador sacou um revólver 38 e disparou em direção ao peito do adolescente. No entanto, testemunhas afirmam ter visto a vítima descer do ônibus, ser chamada e, em seguida, recebido o tiro, sem que houvesse qualquer discussão. Ainda de acordo com o depoimento do jovem, ele se entregou porque estava jurado de morte pelos traficantes da região.

O Ministério Público foi acionado para requisitar a internação do acusado na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Rio Grande do Sul (Fase). O acusado já teria ameaçado de morte outro menor do bairro, onde mora apenas com a avó. O pai já faleceu e a mãe vive com outra família. A arma do crime foi encontrada no pátio da casa do acusado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.