O governador do Estado de São Paulo, José Serra (PSDB), admitiu hoje, pela primeira vez, a possibilidade de candidatar-se a presidente nas eleições de 2010. Aclamado por uma plateia de mais mil pessoas em evento no Palácio dos Bandeirantes, na capital, o virtual candidato tucano à Presidência negou cunho eleitoral no anúncio de investir R$ 3,9 bilhões na construção e recuperação de estradas vicinais do Estado.

"Se eu fosse largar a vida pública em 2010, se eu fosse me candidatar à reeleição, se eu fosse me candidatar a presidente, estaria fazendo exatamente o que estou fazendo", afirmou Serra, provocando uma salva de palmas ao dizer a palavra "presidente". Na plateia estavam mais de 500 prefeitos de cidades do interior de São Paulo que serão beneficiadas pelo Programa Pró-Vicinais. Um homem da plateia chegou a gritar "Serra presidente".

Na entrevista coletiva, questionado sobre como se sentia ao ter sua candidatura aclamada em público, desconversou. "Não há 'minha candidatura', portanto, se houve aplausos, foram às realizações da nossa administração." Diante da insistência dos repórteres para saber se a candidatura era uma hipótese, admitiu: "Uma hipótese é." O governador irritou-se, no entanto, quando uma repórter perguntou se os eleitores não confundiriam a entrega das obras nas estradas, prevista para abril de 2010, com sua eventual campanha para presidente. "O que você quer que eu responda? Isso não tem resposta."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.