Tamanho do texto

Grupos ligados ao líder José Rainha Júnior, dissidente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), iniciam nesta quarta-feira uma marcha de protesto contra o descaso com que a reforma agrária é tratada pelo governo paulista. De acordo com Rainha, o protesto deve reunir cerca de mil militantes.

Os grupos saem de três cidades - Santo Anastácio, Martinópolis e Tarabai - e caminham durante três dias em direção a Presidente Prudente. Em média, cada marcha terá 350 participantes e vai percorrer aproximadamente 45 quilômetros.

O protesto, segundo Rainha, é contra a demora na transformação de áreas arrecadadas pelo Governo do Estado de São Paulo em assentamentos. "O governo gastou dinheiro do povo para adquirir áreas de terras públicas, mas agora alega que não pode assentar por causa do impacto ambiental."

A marcha tem apoio de outros movimentos de sem-terra da região e sindicatos rurais ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Na chegada a Presidente Prudente, prevista para sexta-feira, haverá um ato público na praça central. Em seguida, líderes se reúnem com representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Ministério Público. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.