José Rainha expande invasões para fora do Pontal

Embalado pelas verbas do governo federal, repassadas a duas organizações não-governamentais (ONGs) sob investigação por desvios, o líder dissidente do Movimento dos Sem-Terra (MST) José Rainha Júnior atrai mais seguidores no oeste paulista. Depois de assumir o controle da maioria dos assentamentos do Pontal do Paranapanema, ele expande sua área de atuação para a região noroeste do Estado.

Agência Estado |

No domingo passado, Rainha iniciou um acampamento numa estrada que liga Araçatuba ao distrito de Engenheiro Taveira. Até a tarde de ontem, cerca de 300 barracos tinham sido erguidos nas margens da rodovia. “O Adão Preto será um dos maiores acampamentos do País”, afirmou. O nome homenageia um dos fundadores do MST falecido recentemente.

Os sem-terra foram alistados em reuniões na periferia de Araçatuba, Andradina e Birigui. “São trabalhadores expulsos do campo pela mecanização da cana”, disse. Rainha anunciou outros acampamentos na região, que chamou de “nova fronteira” da luta pela terra no Estado. “É uma região com grandes áreas improdutivas e carente de organização.” O objetivo é cobrar do Incra a vistoria das fazendas e acelerar a reforma agrária. Os acampados devem participar de invasões, segundo o líder. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG