José Múcio não acredita que ex-assessor da Casa Civil mandou e-mail por engano

BRASÍLIA - O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse nesta segunda-feira não acreditar que o ex-secretário de Controle Interno da Casa Civil José Aparecido Nunes enviou ao assessor do senador Álvaro Dias, André Fernandes, por engano, um e-mail com os dados dos gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com cartões corporativos.

Agência Brasil |

  • Veja os gastos do governo nos últimos anos
  • Entenda o caso dos cartões e veja o que já foi notícia
  • Múcio diz que 'não há hipótese' de Erenice ser afastada
  • Aparecido só sairá preso da CPI por desacato, admitem parlamentares
  • Não foi por engano. [José Aparecido] Mandou achando que não ia resultar no que resultou. Imagino isso, disse José Múcio.

    A verdade é que foi uma troca de informações entre dois amigos, de repente um detectou que tinha informações valiosas, e essas informações vazaram, não aqui [no Palácio do Planalto], mas fora daqui, acrescentou.

    O ministro voltou a negar que tenha havido qualquer orientação da Casa Civil para a divulgação dos dados.

    José Aparecido Nunes e André Fernandes depõem amanhã (20) na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos.

    José Múcio acredita que o ex-assessor da Casa Civil dirá a verdade ao senadores e deputados, e que o depoimento deve encerrar o episódio.

    José Aparecido pediu exoneração do cargo que ocupava na Casa Civil. No último dia 16, ele prestou depoimento à Polícia Federal e foi indiciado por violação de sigilo funcional, crime cuja pena vai de dois a seis anos de prisão.

    Leia mais sobre: CPI dos Cartões

      Leia tudo sobre: cpi dos cartões

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG