Jornalistas da Argentina, Espanha e Colômbia levam prêmios da fundação de García Márquez

BOGOTÁ ¿ Jornalistas da Argentina, Espanha e Colômbia foram os vencedores do Prêmio Novo Jornalismo nas categorias Internet, Rádio e Televisão, respectivamente. A premiação é concedida pela Fundação Novo Jornalismo Ibero-Americano (FNPI, em espanhol), presidida pelo escritor Gabriel García Márquez.

Agência Ansa |

Na categoria Internet, as vencedoras foram as argentinas María Arce e Paula Lugones, que publicaram no site do jornal Clarín a matéria "Rota 66, o longo caminho à Casa Branca", que abordava a recente campanha presidencial dos Estados Unidos.

A espanhola Marta del Vado foi a autora do melhor trabalho de rádio. A reportagem "Os muros do mundo", divulgada pela Cadena SER, revela de que forma são vistas e entendidas as fronteiras nacionais.

Já na categoria Televisão, o prêmio deste ano foi para a produção "Um crime quase perfeito", da rede Notícias Uno, dos jornalistas Daniel Coronell, Ignacio Gómez, Juan Luis Martinez, Jaime Honorio González e Carlos Cárdenas, da Colômbia.

A reportagem retoma a história da morte de dezenas de pessoas, inclusive de juizes, no Palácio da Justiça da Colômbia em 1985, de autoria do grupo guerrilheiro M-19. O vídeo, inédito, revela que pelo menos uma das pessoas que desapareceram na ação morreu, provavelmente, nas mãos do Exército.

O trabalho "A reunião que radicalizou a ditadura", site e reportagens sobre o A-I 5, orientado pelo colunista Elio Gaspari, da Folha de São Paulo, estava entre os finalistas na categoria internet.

Em 2007, um trabalho da mídia on-line brasileira foi premiado. A produção de Julliana de Melo, "Longe da casa de bonecas", discutia o drama do trabalho infantil doméstico.

    Leia tudo sobre: gabriel garcía márquezimprensa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG