Jobim sobrevoa cidades pernambucanas

Ministro da Defesa compara enchentes no Nordeste com terremotos no Haiti

Agência Brasil |

Depois de sobrevoar municípios de Pernambuco arrasados pela chuva, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta quarta-feira que só viu situação semelhante no Haiti, devastado por um terremoto em janeiro deste ano . Segundo o ministro, será necessário coordenar as estratégias para evitar problemas posteriores, como a má distribuição de donativos e o atraso das obras de reconstrução.

“Houve uma precipitação de água inacreditável em termos de derrubada de pontes e casas, principalmente, perto do rio. Temos de intensificar as ações e supervisioná-las. O que temos de fazer neste momento é trabalhar na administração da solidariedade”, afirmou.

Além de sobrevoar o Estado, Jobim e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, estiveram nos dois municípios mais atingidos, Palmares e Barreiros. Na terça-feira, o ministro da Defesa acompanhado do governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho, e da ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Márcia Lopes, sobrevou seis cidades alagoanas.

A chuva destruiu áreas inteiras e deixou milhares de desabrigados. O governo federal estabeleceu um plano de metas para ajudar no suporte às vítimas e na reconstrução das cidades. De acordo com Jobim, a prioridade no momento é o atendimento à população.  “Primeiro, devemos rastrear os locais indicados para localizar os desaparecidos. O próximo passo é a remoção das pessoas isoladas. Para isso, devem ser preparadas habitações provisórias, como espaços coletivos e barracas, com distribuição de alimentos de consumo imediato”, disse Jobim.

Cerca de mil militares estão trabalhando em Pernambuco e, pouco mais de 300, em Alagoas. “Vamos colocar à disposição toda a estrutura de logística e de trabalho das Forças Armadas. O problema não é a quantidade [de militares], mas ter uma grande estrutura de coordenação nos níveis estaduais, municipais e federal”, afirmou o ministro.

Além do amparo à população, as Forças Armadas auxiliam na reconstrução da infraestrutura das cidades. Duas pontes portáteis foram enviadas, uma de 60 metros para Alagoas e outra de 30 metros para Pernambuco.

De acordo com o major-brigadeiro Hélio Paes de Barros Júnior, um hospital de campanha do Exército chegou na terça-feira a Recife e foi instalado no município de Barreiros. “O hospital começou a funcionar hoje com uma perspectiva de 400 atendimentos diários. Contamos com 40 profissionais de saúde”, disse.

O governo federal liberou R$ 100 milhões para Alagoas e Pernambuco. Metade desse valor já foi encaminhada aos estados para os primeiros atendimentos à população. O resto será enviado quando a Casa Civil receber o relatório com os estragos.

Mortos

A Defesa Civil de Pernambuco confirmou, na manhã desta quarta-feira, que mais três corpos de vítimas das enchentes no Estado foram localizados na terça-feira. Até o momento, 15 mortes foram registradas em Pernambuco e outras 29 em Alagoas, chegando a 44 o número de vítimas das chuvas .

*Com informações do iG São Paulo

    Leia tudo sobre: chuvaspernambucoalagoasmortosenchentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG