Jobim: será criado plano de segurança para Congonhas

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse hoje que a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), estatal que administra os aeroportos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) estão encarregados de apresentar um plano para aumentar as condições de segurança das duas pistas do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. Entre as opções em estudo, está a instalação de redes nas extremidades e a aplicação de um cimento poroso entre as pistas.

Agência Estado |

As redes são usadas em alguns aeroportos militares e têm a função de "segurar" aeronaves que percam o controle e ultrapassem as pistas. O cimento poroso foi descartado como solução para as extremidades das pistas, mas poderá ser usado nos casos de derrapagem lateral, segundo informação da assessoria de imprensa do Ministério da Defesa.

Jobim comentou o incidente ocorrido na quarta-feira em Congonhas, onde um avião bimotor derrapou na pista e foi contido por um muro de concreto. "Vamos estudar as condições suplementares para evitar o tipo de ocorrência de anteontem (quarta-feira). A questão é de levantamento técnico. Determinei à Infraero, à Anac e ao controle do espaço aéreo que verifiquem as condições de acréscimo dos elementos de segurança. Não sei se será rede ou cimento mole", afirmou o ministro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG