Jobim diz que STF deve analisar sigilo da fonte para jornalistas

BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse nesta quarta-feira, na CPI dos Grampos, que o Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir sobre a possibilidade de relativizar o sigilo da fonte para jornalistas em casos de ilícitos criminais. Não obstante, Jobim também questionou a publicação de informações provenientes de grampos ilegais, e se tal divulgação estaria ou não de acordo com a liberdade de imprensa.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

"Se é possível ser relativizado o sigilo da fonte em casos de ilícitos criminais, isso o STF tem que decidir (...) Há casos em que o STF relativizou valores constitucionais devido a outros valores constitucionais", disse. "A questão é saber como compatibilizar e se é ou não compatível a responsabilidade de divulgação [dos grampos] com a liberdade de imprensa", completou.

A discussão sobre o tema começou quando alguns deputados da CPI dos Grampos questionaram o ministro sobre a ausência de provas na matéria da revista Veja para a derrubada da cúpula da Abin, acusada de ser a responsável pelo grampo entre o presidente do Supremo, Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres.

O ministro alegou que, devido à confirmação dos grampeados, ficou patente que a conversa foi gravada e reiterou que a decisão de afastar a direção da Abin foi política, e não baseada em inquéritos criminais.

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG