Jobim diz que será criada autoridade aeroportuária

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse hoje que um decreto será assinado criando uma autoridade aeroportuária para resolver problemas imediatos que estejam ocorrendo nos aeroportos. A ideia é que o primeiro aeroporto a ser atendido seja o de Guarulhos, em São Paulo.

Agência Estado |

Essa autoridade poderia ordenar ações entre Polícia Federal, Receita Federal, Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e companhias aéreas.

Na Câmara dos Deputados, onde particip da Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional, Jobim disse ainda que quer abrir espaços ociosos de companhias aéreas nas áreas de embarque e check in para, por exemplo, eliminar as filas que, muitas vezes, atrapalham a circulação dos passageiros nos aeroportos.

Jobim classificou a Copa do Mundo de 2014 como "um soluço" na questão da infraestrutura dos aeroportos. Segundo ele, de qualquer jeito, haverá gargalos na infraestrutura aeroportuária que precisam ser resolvidos até lá. "Com Copa ou sem Copa, precisamos melhorar a infraestrutura dos aeroportos", disse Jobim, acrescentando que a Infraero planeja para 2014, sem considerar a Copa, no cenário de crescimento de 5% do PIB, que a movimentação seja de 171,8 milhões de passageiros por ano. Este ano a estimativa é de 120 milhões de passageiros por ano. Até outubro, foram 103 milhões passageiros por ano.

Segundo Jobim, entre 2011 e 2014 deverão ser gastos R$ 4,6 bilhões com melhorias em terminal de passageiros, pista e pátio dos aeroportos do País. Ele disse que não adianta só resolver o problema dos aeroportos das 12 cidades que sediarão os jogos, mas sim dos demais aeroportos que também abastecem estes principais.

A estimativa do governo é de que, durante os dois meses da Copa, 2,7 milhões de passageiros circulem a mais pelos aeroportos brasileiros. Mas ressaltou que, de qualquer maneira, entre 2009 e 2014, haverá um crescimento de 51% no número de passageiros nos aeroportos do País.

Para facilitar a realização de obras e administração da Infraero, o ministro Jobim anunciou ainda que quer que a Infraero tenha o mesmo tratamento que a Petrobras, com dispensa de licitação, sem uso da lei 8.666. Jobim voltou a defender ainda a privatização de aeroportos, mas avisou que esta era uma opinião sua, e não a do governo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG