O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse hoje que o orçamento e os projetos do ministério não sofrerão cortes por causa da crise, já que todas as iniciativas são de médio e longo prazo e contam com financiamento externo. O Plano Estratégico de Defesa é de médio e longo prazo e a crise econômica, esperamos, será de curto prazo.

Há políticas anticíclicas na indústria da defesa, que são a criação de empregos e tecnologia", disse o ministro em entrevista realizada no Riocentro, onde ocorre a feira Latin America Aerospace & Defence (LAAD), sobre a indústria de Defesa. De acordo com Jobim, estão programados investimentos de R$ 325 milhões na modernização dos aeroportos brasileiros.

Jobim explicou ainda que, no que diz respeito aos projetos da Defesa, "não estamos puramente comprando e sim induzindo a produção nacional". O ministro ressaltou as diferenças entre a indústria comum e a de Defesa, que exige planejamento de prazo mais longo e disse que, até junho, o Ministério "já terá apresentado e discutido com o presidente Lula" todos os projetos em curso. "O governo está tomando medidas para que a Defesa integre a agenda nacional", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.