Jobim diz que mancha de óleo pode excluir explosão

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta quarta-feira que a presença de óleo na região no oceano Atlântico onde caiu o avião da Air France pode excluir a possibilidade de explosão da aeronave que decolou do Rio com 228 pessoas a bordo. A existência de manchas de óleo pode eventualmente excluir a possibilidade de incêndio, explosão. Senão, não teria mancha de óleo, afirmou o ministro a jornalistas em Brasília.

Reuters |

"A única hipótese que se pode trabalhar é que, se nós temos mancha de óleo, isso significa que esse óleo não foi queimado."

Sobre encontrar corpos, o ministro disse: "Além dos corpos afundarem, a costa de Pernambuco tem o problema que vocês sabem", afirmou. Ao ser perguntado por jornalistas se seriam tubarões, ele disse que "sim".

Jobim acrescentou que a Aeronáutica e a Marinha não avistaram corpos, exclusivamente destroços.

"Corpos que caem no mar tem dois tipos de possibilidade: os que não tem o abdômen íntegro, afundam e não voltam. O corpo que tem o abdômen íntegro leva um tempo superior a 48 horas, às vezes vai a 70 horas, para voltar à superfície, porque depende da formação de gases no abdome", explicou.

O ministro afirmou ainda, ao ser questionado sobre a possibilidade de um sinal de terrorismo na queda do Airbus A330, que "não há nenhuma sinalização".

(Por Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: air france

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG