Jobim diz que destroços de AF447 foram encontrados

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou nesta terça-feira que aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) encontraram os destroços da aeronave da Air France que caiu no oceano Atlântico, depois de decolar na noite de domingo do Rio de Janeiro com 228 pessoas a bordo. O ministro afirmou que os destroços foram localizados a 1.200 quilômetros de distância da cidade de Recife. Os destroços, partes metálicas e não-metálicas, foram visualizados numa extensão de 5 quilômetros, segundo Jobim.

Reuters |

"Não há a menor dúvida que os destroços são do avião da Air France", afirmou Jobim em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, acrescentando que o avião caiu dentro das águas territoriais brasileiras, antes do limite marítimo de Dacar (Senegal).

Ao ser perguntado sobre a possibilidade de haver sobreviventes, Jobim disse: "Até o momento não foi encontrado nenhum corpo", afirmou o ministro.

Jobim, que se reuniu no Rio com familiares de brasileiros que estavam no avião, afirmou que ainda não há vestígios das caixas-pretas do Airbus A330.

"Caixa-preta não bóia, estamos numa região de 2.000 a 3.000 metros de profundidade", afirmou. "A descoberta terá grande dificuldade." Segundo Jobim, as investigações sobre a queda do avião ficarão a cargo da França, uma vez que o Airbus A330 está registrado nesse país.

O ministro afirmou ainda que os destroços visualizados e eventuais vítimas que forem encontradas serão transportados por navios da Marinha, com auxílio de helicópteros, para a ilha de Fernando de Noronha e depois encaminhados para Recife.

"O que eu organizei hoje em Recife é que o que for encontrado nessa região será deslocado de navio até 250 milhas de Fernando de Noronha e resgatado de helicóptero até Fernando de Noronha", afirmou o ministro, que antes de vir ao Rio de Janeiro esteve na capital de Pernambuco para conversar com autoridades militares sobre as operações de busca.

Aviões da FAB visualizaram nesta terça-feira destroços de uma aeronave no oceano Atlântico a cerca de 650 quilômetros de Fernando Noronha durante operação de buscas da jato da Air France que desapareceu com 228 pessoas a bordo, a maioria franceses e brasileiros.

A FAB informou em comunicado que uma aeronave R-99, que decolou de Fernando de Noronha na noite de segunda-feira, "para realização de varreduras com a utilização do radar de abertura sintética" identificou por volta de 1h (de Brasília) alguns "retornos" que indicavam materiais metálicos e não-metálicos flutuando no oceano.

Em seguida, aeronaves Hércules C-130 decolaram para o local indicado e confirmaram, às 6h49, a existência de peças e manchas de óleo a aproximadamente 650 quilômetros a nordeste de Fernando de Noronha.

Entre os objetos avistados estavam uma poltrona de avião, pequenos pedaços brancos, uma bóia laranja, um tambor, além de vestígios de óleo e querosene, informou a FAB.

Cinco navios da Marinha brasileira estão a caminho da região onde os destroços foram visualizados, o primeiro chegará na quarta-feira. A Marinha francesa também enviará embarcações.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG