Jobim descarta aumento da tensão por causa de Chávez

Após se reunir com o presidente de Israel, Shimon Peres, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse não acreditar no aumento da tensão na América do Sul por causa das últimas declarações do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. O Brasil vê tudo isso com moderação.

Agência Estado |

Não creio que vá acontecer absolutamente coisa alguma", declarou o ministro. "Cremos que tudo isso possa ser resolvido com o diálogo e a posição do Brasil é sempre uma posição de moderação", completou.

Jobim reconheceu, no entanto, que as declarações de Chávez podem atrapalhar a entrada da Venezuela no Mercosul. Para ele, "poderá haver uma reação por parte dos setores do Senado". "Eu creio que devemos aceitar e a Venezuela deve participar do Mercosul porque é sempre bom ter presente, estar presente, estar junto do que estar distante", disse.

Jobim negou que possa haver movimentação das tropas brasileiras por conta das declarações de Chávez. O presidente venezuelano pediu, no final de semana, em meio ao clima crescente de tensão de seu país com a Colômbia, que seus generais ficassem prontos para a guerra.

O ministro informou que está indo ao Rio de Janeiro participar de uma reunião que trata da criação de estratégia em defesa da América do Sul. Questionado se o conselho de defesa da América do Sul poderia ser acionado para diminuir a tensão entre a Colômbia e a Venezuela, Jobim disse que este conselho ainda está em fase de formação.

Ele comentou, no entanto, que nesse encontro que terá no Rio, vai se encontrar com o ministro da Defesa do Equador para apressar a criação do conselho. Indagado se o Brasil vai procurar a Venezuela para conversar e tentar reduzir a tensão na região, Jobim respondeu: "Não creio que a tensão vai aumentar. A tensão faz parte da retórica do continente".

O ministro informou ainda que está sendo realizada uma operação no sul do país, denominada Cadeado, em parceria com a Polícia Federal e as polícias daqueles Estados. A operação, que está realizada na fronteira sul tem por objetivo o combate a narcotráfico e de armas. Ele disse que a operação é de rotina dentro das novas funções das Forças Armadas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG