BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu nesta quarta-feira a permanência do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no cargo. Sarney está pressionado após surgirem uma série de denúncias na Casa envolvendo o seu nome.

"Sou amigo do presidente Sarney há muito tempo. Acompanhei toda a sua trajetória e, por isso, posso dizer que não se pode tributar a uma pessoa aquilo que ocorre há vários anos. E se os senhores renunciarem a capacidade de saberem gerir as suas crises deixando que os outros façam as suas pautas os senhores estarão desonrando o voto que tiveram, afirmou o ministro aos senadores.

Jobim ressaltou ainda que espera que os senadores tenham a lucidez para resolverem os seus próprios problemas. Temos quer levar em conta que todas as soluções que se dão têm a ver não com interesses imediatos e individuais, mas sim de uma grande instituição democrática. O Senado compõe os seus problemas e resolva as suas dificuldades".

O ministro participou de uma audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado para tratar da estratégia nacional de defesa

"Só quero que saibam que os senhores não estão tratando com biografias individuais. Estão tratando com o País. O Sarney conseguiu algo extraordinário que foi a grande transição democrática do período autoritário, quando assumiu a Presidência da República. Portanto, isso não é uma história que se construiu ou que se fez. É uma história que se realizou".

Leia mais sobre: Sarney

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.