O ministro da Defesa, Nelson Jobim, apresentou ontem a parlamentares pontos do Plano Estratégico de Defesa, a ser discutido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A proposta prevê expansão dos meios da Marinha - por conta das descobertas de petróleo nas áreas do pré-sal -, recomposição da frota da Força Aérea e ampliação da elasticidade e flexibilidade do Exército.

A idéia de fixar o orçamento da Defesa em 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) foi abandonada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.